Arábia Saudita se torna o primeiro país do mundo a conceder cidadania a um robô

Contudo, decisão reacendeu debates sociopolíticos no país

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
Arábia Saudita se torna o primeiro país do mundo a conceder cidadania a um robô

Na última sexta-feira (27), a Arábia Saudita se tornou o primeiro país do mundo a conceder cidadania para um robô. Denominada Sophia, a androide se tornou uma cidadã  saudita durante um congresso da Iniciativa de Investimento Futuro.

Ela já tinha sido apresentada em 2016, durante o SXSW. Ela foi criada pela empresa honconguesa Hanson Robotics. Bem humorada, Sophia chegou até mesmo a fazer piadas com Elon Musk e seu medo do desenvolvimento de inteligências artificiais que podem vir a se rebelar contra a humanidade:

Vocês têm lido muito Elon Musk e assistido a muitos filmes de Hollywood.

A decisão de tornar Sophia uma cidadã saudita reanimou uma série de discussões acerca dos direitos humanos do país. Grupos humanitários apontaram que a androide tem mais direitos do que as mulheres do país — podendo, por exemplo, pode sair sem uma burca e sem a presença de um homem ao seu lado.

Além disso, ela não precisa se submeter ao Kafala, sistema trabalhista que apreende os documentos de funcionários de diversos setores e os submete a uma vigilância constante de seus patrões, não podendo se demitir, mudar de emprego ou sair do país sem a autorização expressa dos chefes. O jornalista Murtaza Hussein declarou à BBC:

Uma robô conseguiu sua cidadania antes de trabalhadores do Kafala que viveram no país a vida toda.

A cidadania de Sophia certamente será um ponto crucial nos debates sobre reformas sociais que estão acontecendo na Arábia Saudita. Porém, ainda é cedo para conseguirmos determinar exatamente qual será o papel da androide no futuro do país.