American Gods | Uma música no segundo episódio resume toda a história da série [SPOILER]

Contém SPOILERS!

Cesar Gaglioni Publicado por Cesar Gaglioni
American Gods | Uma música no segundo episódio resume toda a história da série [SPOILER]

Contém MUITOS SPOILERS!

Depois de anos sendo produzida, American Gods finalmente estreou e já conta com uma base grande e leal de fãs que estão deslumbrados com a história criada por Neil Gaiman no livro de mesmo nome. A maior parte dos mistérios da trama ainda não foram revelados, mas uma música que toca no segundo episódio da adaptação entrega quase tudo que veremos. Se você não leu o livro e não quer saber tudo o que acontece, vá ler outro post! Se você leu ou não liga para spoilers, vem comigo nessa teoria:

Pronto?

A música em questão é “A Hard Rain’s A-Gonna Fall”, de Bob Dylan:

Ela pode ser ouvida na cena em que Shadow (Ricky Whittle) e Mr. Wednesday (Ian McShane) estão no carro. Escrita por Bob Dylan em 1962, trazendo um longo diálogo entre um pai e um filho que não se encontram há muito tempo. A canção começa com o pai perguntando: “Onde você esteve, meu filho de olhos azuis?”. Quem já leu o livro sabe: Shadow na verdade é uma reencarnação de Baldr, deus da luz e da pureza na mitologia nórdica, filho de Odin, que na série é representado por Mr. Wednesday. Os dois estavam separados há algumas eras e agora se reencontraram. Essa é a primeira conexão entre a música e a trama, mas não para por aí.

A música também diz: “Eu conheci uma mulher cujo corpo estava queimando, eu conheci uma jovem mulher, ela me deu um arco-íris”. Analisando dessa perspectiva, a moça em questão pode ser Laura Moon, esposa de Shadow. Dylan também canta: “Eu ouvi dez mil sussurros e ninguém ouvindo” — o começo do segundo episódio mostra um navio negreiro indo para os EUA e lá temos muitos escravos que são ignorados pela sociedade. Em dado momento, um deles rezando diz: “Eu sei que você pode escutar a minha voz”.

“A Hard Rain’s A-Gonna Fall” também fala sobre um martelo ensanguentado. Vocês se lembram de Czernobog e sua marreta usada para o abate, né? Outra referência é no verso, “eu vi armas e espadas afiadas”. Na história, Shadow e Wednesday encontram Vulcan, o deus das armas. Na ocasião, Wednesday pede para que o velho amigo lhe forje uma espada. Posteriormente, Dylan canta: “Eu conheci um homem branco que andava com um cachorro negro”. Em 2015, Neil Gaiman escreveu Black Dog, um conto ambientado no universo de Deuses Americanos que traz Shadow em um pequeno vilarejo onde pessoas são assombradas por um cão negro fantasmagórico pouco antes de morrer.

american-gods-neil-gaiman

Um verso na última estrofe traz o “filho” dizendo: “Vou andar nas profundezas da mais profunda floresta negra”. Essa poderia ser a floresta de ossos de Shadow. Dylan também escreveu, “onde o lar no vale encontra a prisão suja e úmida”. Por muito tempo a cadeia foi o lar de Shadow.

Não bastasse tudo isso, o refrão da música fala sobre uma grande tempestade que vai cair. E desde o começo da trama sabemos que a batalha entre os Deuses é simbolizada com uma grande trovoada. O livro faz referência à música também: na página 67, temos a frase, “Bob Dylan cantou sobre uma chuva forte que vai cair, e Shadow pensou se a tempestade já tinha caído ou se era algo que ainda ia acontecer”

É claro que essa teoria foi feita na base de associações entre elementos em comum, mas sabemos que nenhum filme ou série escolhe sua trilha sonora aleatoriamente, então fica a impressão bem clara de que Bryan Fuller queria nos dar pistas e fazer um foreshadowing musical.


No livro de Neil Gaiman, toda entidade divina que é adorada se torna real, e seu poder varia de acordo com a quantidade de adoradores que tem. Então divindades como Odin estão fracas, perdendo seus lugares para novos deuses como a Internet, Estradas e a Mídia.

American Gods está sendo exibido no Brasil através da Amazon Prime Video.