Alice Monstrinho fala sobre sua relação com RPG: profissão, amizades e até um casamento

Conversamos a artista responsável por parte da graphic novel da campanha Nerdcast RPG: Coleção Cthulhu sobre suas influências e carreira

Marina Val Publicado por Marina Val
Alice Monstrinho fala sobre sua relação com RPG: profissão, amizades e até um casamento

Alice Monstrinho é desenvolvedora de jogos, quadrinista e dubladora que trabalhou na coletânea Mulheres & Quadrinhos, vencedora de duas categorias do Troféu HQ Mix 2020, e também fez parte do elenco de vozes de The Last of Us Part II.

Ela também é uma das artistas responsáveis por criar as recompensas do Nerdcast RPG: Coleção Cthulhu. O NerdBunker bateu um papo com Monstrinho para saber sobre suas referências, como é adaptar uma obra que nasceu em outra mídia, sobre o trabalho como atriz (a gente falou do curta de The Last of Us aqui) e também descobriu sobre o seu lado boxeadora! Confira abaixo:

NerdBunker: Qual a sua relação com o RPG?

Tive contato com D&D aos meus 11 anos e fiquei maravilhada. Aos 13, criei um grande interesse por Vampiro: A Máscara e outros livros da editora White Wolf, pois já gostava de terror e abrir aqueles livros me trouxe um fascínio pelo sobrenatural e por horror pessoal. As ilustrações de artistas como Brom e Tim Bradstreet foram de grande influência. Ao criar tantos personagens para jogar, descobri que isso era algo que queria fazer profissionalmente.

“Tive a chance de participar de campanhas de diversos sistemas, live-actions, e até mesmo conheci meu marido jogando uma campanha de Vampiro: Idade das Trevas em 2006. Desde que rolei os dados pela primeira vez, em 2001, nunca passei um único período sem jogar em algum grupo, e além de me trazer tantas amizades (e casamento!) foi um grande norte para minha vida profissional.”

Entre as muitas recompensas da campanha do Nerdcast RPG: Coleção Cthulhu, você está trabalhando em quais?

Ilustrarei uma das histórias da graphic novel, roteirizada pelo grande Fábio Yabu.

Qual o principal desafio de adaptar algo de outra mídia?

Cada pessoa enxerga personagens, locais e acontecimentos de uma maneira diferente e muito pessoal, portanto é virtualmente impossível trazer à tona algo que remeta o que todos estão imaginando. O desafio principal é concretizar visualmente todo esse compilado de ideias juntando as visões dos fãs, narrador e jogadores e, ao mesmo tempo, trazer um pedaço meu, vindo da minha própria forma de ver e sentir essa história.

Quando você descobriu que precisava contar histórias, que isso era uma profissão, afinal?

Apesar de sempre saber que trabalharia com arte, penso que justamente jogar RPG e ler os nomes dos autores foi das primeiras vezes que entendi como uma obra era produzida. Alguns quadrinhos e mangás que continham notas dos autores, como One Piece, também me levaram a entender que para qualquer traço sair, precisamos de um artista. Uma vez que descobri a profissão de quadrinista ou artista para jogos, perto dos meus 12 anos, sabia que seriam nessas águas que iria me aventurar.

Alice Monstrinho também fez parte do elenco de vozes de The Last of Us Part II (Foto: Divulgação)

Se não trabalhasse com arte, o que você acha que faria?

É muito difícil imaginar outra coisa, mas provavelmente seguiria como atriz, locutora e dubladora. Se fosse para pegar algo longe da área de artes cênicas e visuais, seguiria os passos do Búfalo e tentaria a carreira de boxeadora, já que adoro o esporte, pratico há anos e tive a chance de competir no boxe amador em 2016.

Como você consegue conciliar seu trabalho como desenvolvedora de jogos, quadrinista e dubladora?

O malabarismo do tempo é bem complicado e muitas vezes trabalho à exaustão, mas tenho cronogramas que sigo religiosamente para não deixar passar algum prazo. Apesar de cansativo, ainda me divirto muito com meu trabalho e a empolgação que tenho a cada nova produção é um ótimo combustível. Além disso, minha equipe de apoio composta por maridão Humberto, cachorra Lariat e gata Hadouken salvam minhas energias e me trazem toda motivação do mundo.


Você tem até o dia 2 de fevereiro de 2021 para apoiar o Nerdcast RPG: Cthulhu. E já pode escutar o último episódio agora!