Afinal, qual o perigo real que as vespas assassinas representam?

Conversamos com um especialista para entender melhor o perigo da vespas gigantes asiáticas

Fernanda Talarico Publicado por Fernanda Talarico
Afinal, qual o perigo real que as vespas assassinas representam?

A notícia de que vespas gigantes asiáticas, também conhecidas como vespas assassinas, apareceram nos Estados Unidos causou um grande alarde na internet (saiba mais aqui) e muitas pessoas começaram a se preocupar com as consequências que a presença do inseto poderia causar no país.

Além de medirem mais de cinco centímetros, as vespas chamaram a atenção dos especialistas porque apicultores do estado de Washington relataram terem encontrado dezenas de abelhas mortas e decapitadas.

Vespas gigantes asiáticas apareceram nos EUA pela primeira vez

Com o nome científico de Vespa mandarinia, ela é uma espécie cujos indivíduos se dividem em castas e constroem ninhos subterrâneos, se aproveitando normalmente de tocas abandonadas. São endêmicas das regiões temperadas da Ásia.

Mas, o que isso tudo representa?

Para entendermos melhor o que são as vespas assassinas, conversamos com o professor doutor Felipe Vivallo, do Laboratório de Hymenoptera do Museu Nacional do Rio de Janeiro. O biólogo deu detalhes sobre o inseto, explicou qual o perigo de sua presença e nos tranquilizou: não há registros da espécie no Brasil.

Nerdbunker  – É correto chamá-las de “assassinas”?

Felipe Vivallo Tudo depende do conceito de “assassinas “. No final das contas, a biologia funciona com espécies “assassinando” as outras para sobreviver. Elas [as vespas mandarinia] são bastante perigosas pois as fêmeas têm ferrão e conseguem injetar um veneno muito doloroso, que pode ser mortal.

Os casos mortais [em humanos] se observam geralmente quando várias delas atacam uma pessoa, principalmente aquelas que têm alergia a picadas de insetos.

As vespas têm cerca de cinco centímetros

Qual o perigo que elas representam?

Elas podem atacar humanos e animais domésticos, principalmente quando seus ninhos são perturbados.

Por que as vespas dessa espécie atacam abelhas?

Elas atacam ninhos de abelhas de mel para alimentar a suas larvas. Elas atacam colmeias, despedaçam o corpo das abelhas e as levam para seus ninhos e, com isso, alimentam a próxima geração de vespas adultas.

A espécie tem algum predador natural?

Por causa de seu tamanho, é difícil que tenham inimigos naturais, tais como depredadores. Porém, essa espécie é atacada por parasitas que acabam inibindo a sua capacidade reprodutora.

Vespa mandarinia se alimentando de um louva-deus

Por que é tão alarmante que elas tenham aparecido nos Estados Unidos?

É o mesmo problema que se observa em outras invasões biológicas, ou seja, que a espécie invasora acabe se extendendo e termine afetando os ecossistemas que funcionam sem a presença dela, gerando um desequilíbrio ambiental.

Em relação às pessoas, é o risco de ter um novo animal perigoso no ambiente e que pode se estender a áreas povoadas, colocando em risco a vida das pessoas e animais.

Como elas surgiram no país?

Aparentemente, a introdução foi acidental, mas ninguém sabe como ela aconteceu.

Elas existem no Brasil? Há alguma espécie semelhante?

Não há registros dessa espécie no Brasil. Mesmo se tivesse alguma espécie de vespa nativa semelhante, ela estaria inserida de forma natural dentro do ecossistema, tendo inimigos naturais ou predadores. Um caso um pouco semelhante é o da abelha de mel africanizada, a qual é muito agressiva quando perturbada.

UFA! Não há registros de vespas “assassinas” no Brasil

O que as autoridades podem fazer para conter o crescimento populacional delas?

Manter a população em alerta para que as pessoas estejam atentas à presença desse inseto no Brasil. Caso alguém observe algum desses exemplares, deve avisar imediatamente aos órgãos competentes para que medidas sejam implementadas com o intuito de acabar com o foco e evitar assim que a vespa se espalhe pelo país.